Exame Anatomopatológico

O exame anatomopatológico envolve o processamento da amostra de orgão/tecido, tornando-a adequada para a análise microscópica. Tais amostras são normalmente retiradas através de excisão cirúrgica, seja essa por retirada de pequenas amostras teciduais (biópsias) ou de órgãos inteiros ou parciais (peças cirúrgicas).

A microscopia procura avaliar as alterações na morfologia dos tecidos e células que compõem a amostra. Aliada às informações clínico-laboratoriais, resulta em um diagnóstico que irá nortear a conduta cirúrgica e/ou clínica. Eventualmente,pode ser necessário métodos complementares que possam contribuir para a elucidação diagnóstica (ex: técnicas de Coloração Especial, estudo Imuno-histoquímicos, entre outros).

Os materiais enviados para estudo Anatomopatológico devem ser imersos por completo (5 a 10 vezes o volume da amostra) em solução de formalina (formol 10% tamponado) visando a preservação da morfologia celular, bem como de moléculas importantes para outros procedimentos diagnósticos, como Imuno-histoquímica, hibridização in situ, PCR etc... Tal conservação deve ser realizada logo após a excisão, tenha ela sido realizada através de processo cirúrgico ou biópsia,

É importante informar a correta identificação da região de origem do material, dados do paciente e informações clínicas relevantes.